quarta-feira, 15 de junho de 2016

Desejo e desabafo de um Dia



Desejo e desabafo de um dia



Se não estivesse meu peito a me dizer
gritar
apontar para os os lugares
de onde quase escapei 
em algum sonho
numa noite
tarde ou mística manhã
não estaria algo aqui a me dizer
que eu deveria 
ali
deixar a voz traduzir esse tormento
dizer
cantar a música que ninguém poderia ouvir
para que 
num qualquer dia
num delírio que somente eu teria
deixar tudo 
para, de repente, aparecer ali
junto aos doges de Veneza 
já coberta 
dos trigos de Van Gogh
das águas emergir
de tantos desejos encardidos

num rompante 
de pura e vívida alegria
finalmente ali

sorrir



Eliana Mora, 15/06/2016

2 comentários:

Antero Guedes disse...

Pujante de sentidos,sentimentos, e desabrigos - alma sob frequências, cadências, ritmos em total plenitude com tua íntima natureza, preciosa poesia, em maturidade, integridade e classe - sempre aludindo ao imenso poder que é vibrar pelos teus versos, leio e releio, beijinhos e abraços - saudade, Tero

Antero Guedes disse...

Pujante de sentidos,sentimentos, e desabrigos - alma sob frequências, cadências, ritmos em total plenitude com tua íntima natureza, preciosa poesia, em maturidade, integridade e classe - sempre aludindo ao imenso poder que é vibrar pelos teus versos, leio e releio, beijinhos e abraços - saudade, Tero

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.