quarta-feira, 15 de novembro de 2017


Um passeio de Amor



O ramo perdido estava ali.

Me perguntei
se por acaso ele queria voltar
ao jardim
ou se nem estava assim...
tão perdido

Não sei o que respondeu.

[o amor pode ser insensato]




Eliana Mora, 08/11/2017

domingo, 12 de novembro de 2017

Entre algumas nuvens


Entre algumas nuvens


A vasta cerração
estava ali
e eu queria apenas ver o céu
aquele dos poetas
'seresteiros, namorados'
então cantei


E as nuvens
como que me ouviram
e se abriram em roda
a me mostrar
uma nesga

do azul



Eliana Mora, 12/11/2017

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Pensamento antigo


Pensamento antigo



Por vezes penso
que poderia não ser só um...
mas dois
que se entendem

Quase sempre, desisto
[de pensar]




Eliana Mora, outubro/2017

sábado, 21 de outubro de 2017

Simples Assim



Simples assim


.
No meu colo aqueles braços
que nunca mais esqueci
na mente o sol
o cansaço
do tanto que já sofri
no coração
[ainda] o espaço
para a vida que perdi


.


Eliana Mora, 21/10/17

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Receita de Fantasia



Receita de fantasia



Um olhar

em dignidade
uma notícia para a saudade
um canto 

a elevar nossa mente

Assim 
o nosso espírito se rende
à neblina que se forma
e à calma 
que ela adorna

Fonte
pavio
tenda 

de véu e de guizo

Aqui
a enfeitar nosso rosto
de fruta 

de céu 

[e de riso]




Eliana Mora, 17/10/2017

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Insano


Insano



o choro corria face abaixo
quase colorido
em pedaços
como que não ousasse ser fraco
e sim muralha
a afastar a vida para longe
tanto ou mais que um desenho
em curva


mas dele caiu
deixou a luz roubar um pouquinho da graça
e do sorriso
virou para outro lado

[e dormiu]




Eliana Mora, 18/09/2017

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Boneca de Cera


Boneca de Cera
 
 

Ao derreter-me ali
sob teu corpo
a escorrer de mim qual vela a arder no fogo
vivifiquei-me em ti
 
pedaços meus em gotas a doar
bagaços de uma luz aleatória,
ambígua
 
e no entanto ainda eu:
tanto para a morte
quanto para a Vida.
 
 
 
Eliana Mora, 11/11/2008
Baú – Poesias Dedicadas

Um passeio de Amor O ramo perdido estava ali. Me perguntei se por acaso ele queria voltar ao j...