terça-feira, 18 de agosto de 2015

Nossos próprios Desencontros

Nossos próprios desencontros


O caos  
se visto ao contrário
pode girar
ser horário
ter coisas para arrumar

osso
fibra
anestesia
antena
porto
agonia

até que mais uma vez
reencontremos a fonte
o caminho
o nosso próprio
horizonte

e o elo
junto ao fio
que nos liga ao nosso ser
não admita mais fugas
e se una novamente
ao nosso jeito
mais belo

[de nos querer_por querer]




Eliana Mora, 17/08/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Um passeio de Amor O ramo perdido estava ali. Me perguntei se por acaso ele queria voltar ao j...