terça-feira, 11 de agosto de 2015

Reverência


Reverência

Alinho-te todo em mim _ e rezo.
Porque não bordo. 
Nem sei pintar.



Eliana Mora, abril/2005
[Baú]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Uma vez mais, grata Aquela mão prateada entrou ali na minha lembrança a dedilhar o violino como se nada mais tivesse a fazer neste mund...