quarta-feira, 18 de julho de 2012

Recado a Da Vinci


Recado a Da Vinci



O meu desejo
é que um par de mãos em concha
venha pousar em cada andar
desse meu corpo
como se fosse teto
ou afresco de capela
no mesmo tom de argamassa
e aquarela

E se não pode ser Da Vinci
a me tocar
que venha artista, aventureiro
um deus [um anjo]
retire o véu
que fecha e cobre cada andar
e faça Luz o que restou
do meu altar

Sorriso, réquiem
solo, missa
um áureo manto
que pousa, vibra
entorna
eterno e belo

c a n t o 



©Eliana Mora, 18 de junho de 1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Sentimentos e mudanças

Sentimentos e mudanças Se não há saídas se as palavras são apenas brincadeira e não mais modo de vida... ...