terça-feira, 16 de agosto de 2016

A transbordar


A transbordar



A luz daquela lanterna
atravessou-me os olhos

e ali me vi
parada
como se tivesse recebido 
uma facada

um sentimento ficou
desde então 

a dor
imprecisa e quieta
a me cobrir agora 


[como nunca, antes]



Eliana Mora, 15/8/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Insano

Insano o choro corria face abaixo quase colorido em pedaços como que não ousasse ser fraco e sim muralha a afastar a vida para l...