sábado, 2 de abril de 2016

A árvore da Violência


A árvore da violência



Pode não ter nascido aqui
mas embrenhou-se por esta casa
caiu em cima de mim
a espalhar
não raízes
nem algo como frutos
ou sementes
mas tão somente veias rebentadas

cheias de negatividade



Muito, muito pequena me senti
pelo que o ser humano pode

[por decisão própria]

fazer



Eliana Mora, 01/04/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

De lá e de cá da fronteira

De lá e de cá da fronteira Águas divididas leste dos momentos percebidos e das tão desejadas alforrias Onde como até que dia esperar por...