domingo, 27 de dezembro de 2015

Estranha Revoada


Estranha Revoada



Minha cabeça
voa
como se desenhasse no céu
algumas dunas

lá no alto
apesar da ventania
consigo descobrir 
de onde é que vinha

o meu envolvimento 
com as areias finas
os desenhos rabiscados
os mapas 
quase sempre inacabados

E não consigo 
[ainda assim]

explicar para alguém



Eliana Mora, 26/12/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Insano

Insano o choro corria face abaixo quase colorido em pedaços como que não ousasse ser fraco e sim muralha a afastar a vida para l...