terça-feira, 31 de março de 2015

A arte que não morre


A arte que não morre



O coração consegue

conter
reter
até transbordar em possibilidades
mas não vai poder
fazer nascer
de maneira tecnológica ou aritmética
a velha arte de se dar

a arte referida

se inspira em sentimentos muito 
arcaicos
cuidados e sentidos lentamente
burilados
estruturados 
sem limite exterior

em poucas letras

de mãos dadas


[o amor]




Eliana Mora, 30/03/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Insano

Insano o choro corria face abaixo quase colorido em pedaços como que não ousasse ser fraco e sim muralha a afastar a vida para l...