segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

De mais divagações sob esta Lua



De mais divagações sob esta Lua


Há uma coisa de animal
no brilho dessa lua
que vem cobrir a pele tua 

em simbiose tátil

e te faz réptil
te transforma n’alguma coisa nua  
a arrastar-se e arranhar-me
porém sem sulcos a deixar em minha carne

Imensas borbulhantes taças de bebida entorpecente
a despejar [tal qual serpente] em mim 

sementes que nem pensam
vicejar
 
Lua
domínio, dominó
mares e crateras no cristal repousam
dosagem lúcida de fogo ateias
pó indecifrável que ousa derramar-se
em minhas  veias



Eliana Mora, 17 de novembro de 2002
Série Dedicadas_do Baú

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.