sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

P e d i d o


P e d i d o


Olha para mim
[sei que cresci]
mas não deixa de procurar a menina
aquela que se esconde no meu olho
aquela que guardo
inteira
dentro de mim
Esquece o efêmero.

O que (re)cobre tudo é massa
de moldar
[trans/formada pelo tempo]


Eliana Mora, 04/04/2011
[do Baú]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Uma vez mais, grata Aquela mão prateada entrou ali na minha lembrança a dedilhar o violino como se nada mais tivesse a fazer neste mund...