quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Dos lucros e das perdas


Dos lucros e das perdas 



A mim pertence o que sempre gostei
aquilo que sonhei
se consegui ou não tornar realidade
a mim o meu fervor
a minha flor
o meu desejo
a via de tudo
a poesia do sempre dia
a abrir-se em todos os tons
do tudo o nada da agonia
da beleza inválida
perdida nos confins da vida
da vida com alguém
ou sozinha
do tudo do nada 

do fora e do dentro
das vias de fato
dos fatos do alento
e assim
acima de tudo

da veia do amor



Eliana Mora, 15/11/2017
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

De saudade e Poesia

De saudade e Poesia Em ti, sempre penso. Contigo, sempre estou. Nos tempos em que decorava suas músicas e poemas. Seus deveres de amo...