quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Sempre um novo Alento



Sempre um novo alento




escrito no vazio e nos temores
surge ele
o que trafega pela luz dos bastidores
alma dos desejos
oposto de todos nossos medos
favo de ventura 
e ilusão

[que venha, então!]




Eliana Mora, 31/12/2015
Para 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui, quem agradece tua mensagem é a Poesia.

Dos lucros e das perdas

Dos lucros e das perdas   A mim pertence o que sempre gostei aquilo que sonhei se consegui ou não tornar realidade a mim o meu fervor...